web site hit counter Tweets na Biblioteca do Congresso dos EUAImagine um futuro distante, no qual escritores, jornalistas, historiadores e cineastas tentam reconstruir o cotidiano do início do século XXI. O nosso. Agora. Para afinarem o retrato, usariam decerto livros, filmes e músicas, mas também, com toda certeza, o espólio do Twitter. A Biblioteca do Congresso dos EUA, a maior do mundo vai arquivar cada um dos tweets que foram publicados na rede de microblogging desde o seu começo. Incluindo os seus. - Blog Pc Net

Tweets na Biblioteca do Congresso dos EUAImagine um futuro distante, no

Vão ficar guardadas todas as mensagens que marcaram a História – como por exemplo a mensagem de vitória de Barack Obama nas presidenciais de 2008. As que denunciaram os atropelos aos direitos humanos no Irã, as do ator Ashton Kutcher a comentar o corpo da mulher Demi. As que nos fizeram rir, as que nos informaram acerca do terremoto do Haiti, as que nos mostraram a Terra vista do espaço…A notícia soube-se pela própria Biblioteca do Congresso. A mensagem era clara e simples, bem ao jeito da plataforma em questão: “A Biblioteca vai adquirir o arquivo do Twitter na totalidade – todos os tweets públicos, desde Março de 2006!”Matt Raymond, o director de comunicações da Biblioteca do Congresso, em Washington, no blog da instituição deu a ideia da quantidade massiva de informação de que estamos aqui a falando: “Estamos a falar de muitos tweets: o Twitter processa mais de 50 milhões de mensagens todos os dias.” Foi, aliás, noticiado que esta rede social tinha já atingido os dez mil milhões de mensagens, tendo mais de 100 milhões de perfis registados na sua rede.Algumas restriçõesMatt Raymond indica ainda, no mesmo post, que as pessoas que pensam que a Biblioteca do Congresso é “só livros” estão enganadas. “A biblioteca tem recolhido materiais da Internet desde que começou a guardar sites ligados à atividade do Congresso e às campanhas presidenciais, em 2000. Hoje em dia temos mais de 167 terabytes de informação baseada na Web, incluindo blogs sobre legislação, sites de candidatos a cargos públicos e sites de membros do Congresso.”De resto, a instituição faz parte de um programa nacional de preservação digital de informações (National Digital Information Infrastructure and Preservation Program) “que tem como missão recolher, preservar e tornar disponíveis conteúdos digitais significantes, especialmente informação que é criada apenas na forma digital, para que possa ser usada pelas atuais e futuras gerações”, indicou ainda Matt Raymond. A revista Wired vai mais longe no seu comentário e fala da captação do Zeitgeist, o espírito da época.Os criadores da rede de microblogging também já manifestaram a sua satisfação. “É muito excitante que os tweets passem a fazer parte da história”, indicou no blog oficial da empresa um dos co-fundadores do Twitter, Biz Stone. “Ao longo dos anos, os tweets tornaram-se parte de eventos significativos por todo o mundo – desde eleições históricas a desastres devastadores.”Haverá, porém, algumas restrições à apresentação dos tweets. Todas mensagens diretas enviadas entre utilizadores do serviço não serão guardadas e haverá um hiato de seis meses até que as micromensagens possam ser consultadas. Num e-mail enviado ao público, o director de comunicações da Biblioteca do Congresso indicou em breve, os investigadores que assim o desejem poderão começar a acessar os arquivos, disponíveis numa fase inicial apenas na Biblioteca do Congresso, em Washington. “Não excluímos, porém, o acesso a um público mais alargado no futuro”, esclareceu Matt Raymond.Arquivo em versão.ptE em Portugal, alguém armazena arquivos digitais? O público fez a pergunta à subdirectora da Biblioteca Nacional (BN), Maria Inês Cordeiro, que confirmou que isso já acontece, através do projeto Arquivo da Web Portuguesa, com a qual colabora a BN.”A Biblioteca Nacional – bem como outras bibliotecas nacionais – fez algumas experiências, em 2005-2006, de recolha seletiva de sites da Web portuguesa (domínios .pt), relacionados com temas específicos, nomeadamente com as eleições [legislativas de 2005]. Na altura, arquivaram-se ficheiros, mas não foi constituído propriamente um sistema de bases de dados. Era uma experiência”, continua Maria Inês Cordeiro.”Estas recolhas não têm sido exaustivas, são snapshots da Web feitas de tempos a tempos, dependendo do tipo de conteúdos”, explica ainda. “Estamos numa fase experimental e a afinar critérios.”Já o Arquivo da Web Portuguesa, que foi lançado em 2007, faz um trabalho de arquivamento de toda a espécie de ficheiros digitais portugueses, que são guardados nos servidores da Fundação para a Computação Científica Nacional, explica o responsável do projecto, Daniel Gomes. “Ainda não teve uma grande difusão pública”, diz em declarações ao público. Mas a ideia é que venha a estar disponível para toda a gente. “Gostaríamos de lançar o serviço logo, mas de qualquer maneira as pessoas já podem experimentá-lo; é muito valioso que todos comecem já a participar para termos o sistema bem afinado quando acontecer o lançamento oficial.”Alguns dos “tweets” mais emblemáticos“estou a tratar do meu twttr [Twitter]” – Jack Dorsey (@jack), co-fundador do Twitter. Esta foi a primeira de todas as mensagem colocadas na rede de microblogging. (21/03/2006, 08h50)“Acabámos de fazer história. Tudo isto aconteceu porque vocês deram o vosso tempo, talento e paixão. Tudo isto aconteceu por causa de vocês. Obrigado” – Barack Obama (@BarackObama), depois de vencer as eleições presidenciais norte-americanas. (05/11/2008, 11h34)“Está um avião no Hudson. Estou a bordo de um ferry para ir buscar as pessoas. Loucura” – Janis Krums ((@jkrums), um cidadão que viajava num ferry quando o avião da US Airways amarou no Hudson. A par com a mensagem, Krums tirou uma fotografia do incidente com o seu iPhone e fez upload imediato do ficheiro. (15/01/2009, 08h36)“A vitória é nossa”- Ashton Kutcher, (@aplusk), actor e marido da actriz Demi Moore, depois de se transformar na primeira pessoa a obter um milhão de seguidores no Twitter, batendo, por exemplo, a CNN. (17/04/2009, 07h14)“A partir de órbita: A descolagem foi espectacular!! Sinto-me óptimo, a trabalhar muito, e a apreciar as vistas magníficas. Começou a aventura de uma vida!” – Mike Massimino (@Astro_Mike), astronauta da NASA, foi a primeira pessoa a enviar tweets a partir do espaço (12/05/2009, 09h33)Fonte: Tecnologia – PÚBLICO.PTSiga – me no Twitter e fique por dentro de tudo, em primeira mão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *